O “BUNKER” DA GARE DE l’EST 🛣

Bonjour mês amis, ça va bien?

Hoje eu vim falar de um assunto fantástico, mais um segredo de Paris que foi revelado há pouco tempo, vou contar a história de um Bunker de Guerra no subsolo de Paris.

Você sabia disso???

Eu não sabia e quando soube tentei ir conhecer, mas vou contar os pormenores nesse post, mas antes, vou aproveitar a oportunidade para dizer que meu último post sobre o “Apartamento fechado durante 70 anos” foi um sucesso inimaginável, você que leu e gostou, peço que me acompanhe nesse blog, ele é feito para compartilhar meu amor pela França com todos vocês, para isso basta assinar o blog e você receberá todas as semanas um aviso sobre um post novo, obviamente é gratuito, mas informo porque tem pessoas que não sabem! Esse simples ato me ajudará a fazer o Blog crescer e será mais uma motivação para mim, conto com vocês e vamos ao que interessa! 😉

Sob a Gare de l’Est, um Bunker de Guerra preservado por 80 anos!

Alguém parou para observar uma escotilha discreta na plataforma da Gare de l’Est em Paris, quando um trem de alta velocidade parte para Estrasburgo? Eu pelo menos nunca parei para pensar aonde aquilo nos levaria, mas nos leva para um lugar incrível, ele esconde um bunker construído pouco antes da Segunda Guerra Mundial e milagrosamente preservado. A escotilha se abre, após um lance de escadas, o visitante chega a uma porta completamente blindada que leva a um espaço e a uma segunda porta da mesma espécie. Esta é uma câmara de descompressão de descontaminação. A instalação de 110 metros quadrados foi construída especialmente para fazer face aos ataques aéreos, em particular ao gás que propagou-se durante a Primeira Guerra Mundial e marcou fortemente as autoridades públicas.

A função do “bunker” é acolher uma atividade ferroviária indispensável à operação: o comando e a regulação do tráfego em toda a região leste, por um lado, e em todos os trilhos da estação, por outro lado.

O termo bunker não é correto, pois não é fortificado, este é um abrigo “ativo”, encomendado em abril de 1939 pelas autoridades militares e concluído em novembro de 1941.

O labirinto subterrâneo tem então onze quartos, cada um com uma função. Por um lado, as duas salas reservadas ao comando e as quatro salas dedicadas à regulação dos trens; de outro, as três salas que lhes permitem funcionar: energia, túnel de vento, central telefónica, precedidas de uma ante-sala para o supervisor.  Foram instalados gerador, baterias e acumuladores para que 50 pessoas pudessem trabalhar e respirar por 10 horas no abrigo, sem repor o ar ambiente, mas também, para substituir esse equipamento, bicicletas estacionárias que produzem a eletricidade necessária para ventilação e filtragem do ar. As pessoas que trabalhavam no bunker eram soldados e ferroviários. Com efeito, em tempos de guerra, a SNCF e os Diretores são colocados à disposição do comando militar que toma as decisões relativas ao tráfico. Sob a ocupação, eles foram substituídos por uma liderança alemã, a partir do armistício de 22 de junho de 1940, os meios de transporte, e portanto a SNCF, estavam sob as ordens da gestão militar alemã de transporte na zona ocupada.

Os trabalhadores ferroviários alemães dobraram seus colegas franceses nos escritórios de administração, prontos para assumir o tráfego diretamente quando se tratasse de transporte de tropas alemãs.

Todas as estações da SNCF estão equipadas com “bunkers” e, após o fim da Segunda Guerra Mundial, todas essas instalações voltam a ser instalações normais da SNCF, como locais de armazenamento, ou anexos, ou , até mesmo, são convertidos ou demolidos. 

Após o desmantelamento de abrigos semelhantes em Paris-Lyon (início dos anos 1980), Paris-Nord, Paris-Saint-Lazare (2007), o abrigo Paris-Est representa, portanto, uma herança única. Nunca foi reutilizado como local de armazenamento ou repositório de arquivo e, portanto, reteve todo o seu equipamento. O abrigo é, portanto, um museu de técnicas de produção de eletricidade, ventilação e filtragem, medição da qualidade do ar e telecomunicações, portanto, todo o seu equipamento está em seu estado original.

Patrimônio frágil, o bunker Paris-Est é aberto ao público de maneira excepcional. Uma visita virtual é oferecida na estação Paris-Est, destinada principalmente a pessoas que não podem ir aos porões. A maneira mais fácil de visitar é durante as Jornadas Europeias do Patrimônio, 21 e 22 de setembro, eu tentei ir esse ano, eu estava muito empolgada, mas por conta do Covid 19 está fechado ao público, mas eu ainda quero ir lá e ver tudo isso de perto!

A França passou por maus momentos na segunda guerra mundial, eu falei um pouco sobre isso no blog nesse post https://blogdavanessageraldeli.com/2018/04/16/a-coroa-de-jesus-cristo-na-notre-dame-e-um-pouco-da-historia-de-paris-por-traz-do-glamour/, postei fotos incríveis e sempre ao ver essas imagens são de partir o coração.

É uma história bem interessante, espero que tenham gostado também !

Bisous et à bientôt 😘

Vanessa 🌻

Fontes:
➡️ http://www.sncf.com/fr/groupe/newsroom/bunker-paris-est
➡️https://immobilier.lefigaro.fr/article/sous-la-gare-de-l-est-un-bunker-preserve-depuis-80-ans_df8823ca-02bd-11e8-be42-2176aaed995f/
➡️ https://trainconsultant.com/2019/03/12/ce-que-dit-le-bunker-de-la-gare-de-lest/amp/
➡️ Fotos Fotógrafa Diane DC e SNCF

4 comentários sobre “O “BUNKER” DA GARE DE l’EST 🛣

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s