O MUSEU DOS MOLDES DO HOSPITAL SAINT-LOUIS 😱

ATENÇÃO, ESSE POST NAO É INDICADO PARA MENORES DE 12 ANOS E PESSOAS SENSÍVEIS.

Bonjour mês amis, ça va bien?
Hoje vou levar vocês para conhecer um museu fabuloso, na minha opinião!

Não é um lugar que todo mundo vai querer ir, pois algumas pessoas podem não gostar do que encontrarão lá, inclusive crianças, sendo portanto permitida apenas a entrada de maiores de 12 anos, mas se você é apaixonado (a) por Medicina, como eu, você não pode perder a oportunidade de visitar o Museu de Moldes de Paris, você vai se surpreender, vem comigo que eu te explico!

Trata-se de um museu com peças de moldes de cera para auxiliar no ensino da Dermatologia, ele foi criado em 1885 e possui 4.807 incríveis peças de moldes.
A coleção é tão fabulosa que desde 1992 ela está classificada como Monumento Histórico e o edifício é também um monumento histórico, portanto ele está incluído nos Dias do Patrimônio Público, que eu amo, pois pode-se visitar museus e patrimônios públicos gratuitamente no final de semana em que está marcado o evento.
A História

O arquitecto Gustave-Léon Vera traçou os projetos de construção para abrigar:

➡️ O museu

➡️ Uma biblioteca

➡️ Um consultório de dermatologia

➡️Uma oficina de modelação.

A obra foi inaugurada em 5 de agosto de 1889, dia do início do primeiro congresso internacional de dermatologia organizado no museu dos moldes no âmbito da Exposição Universal.

O objetivo que presidiu ao projeto deste edifício foi oferecer aos alunos e médicos um pacote educacional completo, um verdadeiro instituto de dermatologia com acolhimento de pacientes dermatológicos no térreo e o piso superior foi dedicado à parte teórica do ensino.

A coleção

A biblioteca-museu instalada em Saint-Louis foi, antes de mais nada, o resultado de uma vontade política, administrativa e médica de mostrar uma imagem renovada e dinâmica da Escola Francesa de Dermatologia.

A coleção de moldes do hospital Saint-Louis nasceu em 1867. O Dr. Lailler, então médico no hospital Saint-Louis, pediu ao Sr. Jules Baretta, artista moldador de massas de frutas de papelão, que fizesse moldes de partes do corpo com lesões dermatológicas. O objetivo de fazer esses modelos de salva-vidas era treinar médicos em dermatologia.

Concebidos como um verdadeiro suporte educacional, os moldes foram classificados por patologias, este modo de representação tridimensional ofereceu ao aluno um maior interesse educacional e científico do que as representações do plano.

O primeiro moldador foi Jules Baretta, nomeado curador em 1884, ele teria produzido cerca de 3.500 moldes.

Após a sua partida em 1913, Louis Niclet, Couvreur, Font e Stephan Littré assumiram quem produziu a última moldagem em 1958.

A coleção inclui cerca de 4.807 peças, que foram divididas em 4 sub-coleções:

➡️A coleção geral, que é a mais importante quantitativamente;, inclui doenças de pele e sífilis, sendo 3662 edições;

➡️ A coleção de Péan, da qual 615 moldes feitos por Baretta foram doados ao museu por Mme Vve Péan;

➡️ A coleção Parrot, composta por 88 modelos pediátricos confeccionados por Jumelin a pedido de Parrot,

➡️ A coleção Fournier de 442 moldes de sífilis feitos no hospital de Lourcine por Jumelin e depois em Saint-Louis por Baretta.

O museu dos moldes é único no mundo, é o único museu dedicado a uma especialidade médica com uma coleção tão grande de ceras.

O museu recebe muitos visitantes (2.000 pessoas) por ano, sendo que o público é formado em sua maioria por médicos e paramédicos franceses e estrangeiros, mas há também visitantes da área artística, estudantes de artes plásticas, estudantes de história da arte, artistas, escultores e artistas visuais que se interessam pelas técnicas de confecção de moldes, mas tem também os visitantes que são pacientes hospitalizados ou o público em geral que seguem a recomendação de um guia, reportagem de televisão ou artigos de imprensa e agora o meu blog! 😉

Paris é totalmente fascinante, são museus incríveis, você imagina que já existiu um museu fabuloso em Paris chamado Museu Dupuytren, que apresentava patologias anatômicas impressionantes?

Ele era localizado na Escola de Medicina no 6º arrondissement, é verdadeiramente uma pena que este estabelecimento surpreendente fechou suas portas em março de 2016, oficialmente devido a instalações degradadas e inadequadas para os padrões de acesso público

Ele reunia cerca de 15 mil peças, que incluíam além de instrumentos cirúrgicos especializados, esqueletos, fragmentos de ossos, potes contendo órgãos, fetos humanos e ainda pinturas, gravuras e desenhos, assim como muitos ceras – as mais antigas datam do século XVIII, que ilustram malformações observadas em pacientes, ou consequências anatômicas de certas doenças.

Entre as peças mais inusitadas que puderam ser vistas até 2016 estavam o esqueleto e uma cera do corpo de Pipine, cujo nome verdadeiro é Marco Cazotte, um homem sofrendo de focomelia (mãos e pés diretamente presos ao tronco) que, para garantir sua sobrevivência, foi forçado a se apresentar em feiras no século XIX, sim, era bizarro, mas era comum isso acontecer no passado, quando não faziam parte de espetáculos apresentados em circos, uma lástima!

Outras obras-primas do museu: um feto de duas cabeças e o cérebro do paciente, o que permitiu a Paul Broca desenvolver sua teoria da localização de áreas de atividade cerebral, o resto do acervo consistia em uma série impressionante de malformações, deformidades e outras anomalias físicas.

Desde 2016, as peças do museu foram armazenadas em Jussieu, nos porões da Universidade Pierre e Marie Curie e colocadas sob a responsabilidade dos gestores do Departamento de Patrimônio da biblioteca da Sorbonne, as referidas peças foram confiadas em novembro de 2017 a Éloise Quétel com o objetivo de verificar todos os elementos constituintes do acervo.

Para você ter una ideia do minucioso trabalho que está sendo feito, Éloise procedeu a uma classificação anatômica de todos os espécimes guardados, que se subdivide de acordo com as diferentes patologias, e ainda cabe a ela identificar as identidades das pessoas e de seu médico em cada caso, o presente trabalho pretende não apenas aprofundar o conhecimento deste património humano, mas também alimentar uma base de dados que deverá ser colocada online no final do processo.

Em 2016, após a transferência das coleções para Jussieu, o Serviço de Imprensa da Universidade Pierre e Marie Curie indicou em um comunicado: 

“O projeto de reunir e expor em boas condições as coleções médicas parisienses em um local adaptado é atualmente em estudo com nossos parceiros. “

Éloise Quétel sonha em um dia abrir um museu que reúna o patrimônio científico e médico da Universidade da Sorbonne em um só lugar, eu também sonho com isso!😉

🔵Algumas informações importantes:

➡️Para descobrir o Museu dos Moldes, a visita é feita com marcação e também é proibido para crianças menores de 12 anos.

➡️Se o acesso for gratuito para os funcionários da AP-HP, os restantes visitantes terão de pagar o preço total de 7 € (4 € para estudantes), e isso tudo quando sairmos dessa pandemia.

LOCALIZAÇÃO : 1 Avenida Claude Vellefaux 75010 Paris

Espero que tenham gostado desse post, afinal, é incrível mesmo saber os detalhes que envolvem essa cidade incrível!

Bisous et à bientôt 😘

Vanessa🌻

Fontes: 

https://www.sortiraparis.com/arts-culture/exposition/articles/226602-paris-insolite-le-musee-des-moulages-de-l-hopital-saint-louis

http://hopital-saintlouis.aphp.fr/le-musee-des-moulages-de-lhopital-de-saint-louis/

https://amp.agoravox.fr

https://www.sorbonne-universite.fr/portraits/eloise-quetel

Muitas imagens encontradas nos artigos e outras sem informações quanto a autoria.

3 comentários sobre “O MUSEU DOS MOLDES DO HOSPITAL SAINT-LOUIS 😱

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s